"Observando Direitos na Guiné-Bissau": foi lançado o segundo Livro de indicadores sobre Direitos Humanos na Guiné-Bissau, da autoria de Carlos Sangreman

O Observatório dos Direitos da Guiné-Bissau apresentou no passado dia 12 de julho de 2016, na Casa dos Direitos, em sessão pública, Livro intitulado “Observando Direitos na Guiné-Bissau – educação, saúde, habitação, água, energia, saneamento, justiça e meios de subsistência”, organizado pelo Prof. Carlos Sangreman (CEsA/CSG), que consiste numa análise global por temas de Direitos Humanos realizada em 2015 que pretende ser contributo para desenvolver uma cultura dos Direitos Humanos na Guiné-Bissau.

_ler +

 

CEsA esteve presente na assinatura do Protocolo entre FCT e a Rede Aga Khan para Cooperação Científica e Tecnológica com África Lusófona

No passado dia 5 de Julho, o CEsA, representado pela Profª Joana Pereira Leite, esteve presente na sessão de assinatura do Protocolo de Cooperação da FCT com a Rede Aga Khan para cooperação científica e tecnológica nas áreas de investigação relacionadas com a qualidade de vida em sociedades em desenvolvimento, mais concretamente: segurança alimentar, biodiversidade, desenvolvimento infantil, sistemas sustentáveis de energia e desenvolvimento urbano, redução da pobreza, reinstalação de migrantes, sociedade civil e pluralismo. O protocolo pretende materializar a iniciativa “Conhecimento para o Desenvolvimento”, que inclui novas acções conjuntas em África, nomeadamente através da dinamização da agenda Ciência Global junto dos países africanos lusófonos, e o estabelecimento em Lisboa do Centro da UNESCO para a formação avançada de cientistas de países lusófonos, assim como um conjunto de ações e medidas para aprofundar a cooperação académica, científica e tecnológica entre países de língua portuguesa e outros países em África.

_ler +

 

SASA 2016 | Advancing Africa’s Sustainable Development - 4th International Scientific Conference

A SASA – Society for the Advancement of Science in África organiza, entre 22-26 de Agosto de 2016, em Nairobi, Kenya, a 4th International Scientific Conference subordinada ao tema Advancing Africa’s Sustainable Development Through Science, Technology and Innovation, com os seguintes objectivos: fomentar as colaborações internacionais entre ciência e tecnologia; promover a investigação científica e tecnológica; traduzir a pesquisa académica como inovação; acelerar o desenvolvimento infra-estrutural; transformar o currículo académico adequando-o ao avanço da ciência, da tecnologia e da inovação; e, harmonizar as diferentes políticas de ciências dos diferentes países e o financiamento governamental à pesquisa e à investigação.

_ler +

 

A OCDE disponibiliza um banco digital de Working Papers sobre o tema da Produtividade e Desenvolvimento

Os WP da OCDE sobre Produtividade estão associados ao Fórum Global de Produtividade que é contexto de intercâmbio de conhecimento e de Cooperação Internacional entre os organismos públicos com responsabilidade na promoção de políticas de melhoria de produtividade. Oferecendo-se como plataforma de troca de pontos de vista, experiências e disponibilizando informação, com objectivo de desenvolver melhores políticas. O Fórum estende a acção da OCDE, através do fomento de um fluxo bem-priorizado e coerente de investigação complementar com o intuito de servir as necessidades dos que se dispõem em torno da pesquisa política e respectivos drivers da Produtividade e do Desenvolvimento. O último Fórum decorreu justamente em Lisboa, nos passados dias 7-8 de julho.

_ler +

 

Relatório da OIM 2016 | Retorno Voluntário Assistido de Migrantes

De acordo com o Relatório Anual em matéria de retorno voluntário assistido, publicado recentemente (2016) pela OIM (Organização Internacional para as Migrações), cerca de 69.500 migrantes correspondendo a 156 países de origem, foram apoiados por Programas de Apoio ao Retorno Voluntário e à Reintegração em 2015. Este valor representa um aumento de 60% quando comparado com o ano anterior em que cerca de 43.700 migrantes regressaram aos seus países de origem no âmbito de projecto da OIM. O Retorno Voluntário Assistido é uma das actividades principais da Organização no apoio quer a migrantes quer aos Estados Membros. Estes Programas, na maior parte das vezes implementados em cooperação com ONG’s e com comunidades na diáspora, representam um apoio vital e adaptado às necessidades de dezenas de milhares de migrantes que todos os anos regressam voluntariamente ao seu país de origem.

_ler +

 

OJE Abr. 2016 | Angola apanhada pela 'Armadilha'

No Jornal Económico online, André Brás dos Santos (Gestor e Mestre em Desenvolvimento e Cooperação Internacional, ISEG), adverte, parafraseando as palavras do Prof. Ennes Ferreira na cadeira de Economia Africana no ISEG (2013), para a questão da “armadilha dos recursos naturais” em países como “Angola, Moçambique, Nigéria, Argélia e Sudão (Norte e Sul) que baseiam a sua economia, de forma quase exclusiva, na produção/extração e comercialização dos seus recursos naturais, como são o exemplo do petróleo e do gás natural, deixando estes países economicamente reféns dos elevados preços dos recursos nos mercados Internacionais”. Como tal, assevera, há uma maior necessidade de Portugal se afirmar como “o principal agente da Cooperação para o Desenvolvimento dentro da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), pondo à disposição todo o vasto capital humano e os conhecimentos que as universidades, institutos ou associações portuguesas detêm, como são exemplo do CEsA e SOCIUS do ISEG, Centro de Estudos Africanos do ISCTE, Gabinete para a Cooperação e Desenvolvimento da Universidade de Coimbra ou o Instituto Camões".

_ler +

 

OCDE | Instrumento para Análise das Realidades das Economias em Desenvolvimento

A OCDE lançou o Multi-dimensional Country Reviews (MDCR), uma ferramenta para adaptar o expertise da OCDE à realidade dos países em desenvolvimento. Esta ferramenta resultou da necessidade verificada das políticas passarem a conciliar a economia, a sociedade e os objectivos ambientais, no sentido de assegurarem que a trajectória futura dos países em desenvolvimento é sustentável e que a vida dos cidadãos melhora. O MDCR tem assim o objectivo de delinear, definir políticas e estratégias que promovam não-apenas o Desenvolvimento, mas que promovam o Desenvolvimento de uma forma que faça mais sentido, de uma forma mais integrada. Este tipo de análise denomina-se de multi-dimensional, porque segmenta vários objectivos políticos (policy objectives), não apenas a taxa de crescimento, mas também a sustentabilidade e a equidade social, bem como as dimensões do não-rendimento e do bem-estar; aborda questões transversais (cross-cutting issues) que abrangem amplo espectro de áreas políticas, ao invés de ter um foco estritamente sectorial; e, considera várias dimensões das opções políticas (many dimensions of policy options), em particular aspectos de compatibilidades e complementaridades entre as políticas.

_ler +

 

NOVO WORKING PAPER CEsA/CSG | Juventudes Partidárias Portuguesas: Que Visão sobre o Desenvolvimento Global?, de Maria Inês SANTOS, Sara Peres DIAS e Luís MAH

O WP 144, da autoria de Maria Inês SANTOS, Sara Peres DIAS e Luís MAH (Junho, 2016), configura uma análise sobre o conhecimento que demonstram os (as) jovens portugueses (as) relativamente às temáticas Globais e aos paradigmas que se vêm tornando dominantes na última década, com o objectivo de aferir o grau de participação e mobilização dos (as) jovens portugueses (as) para as temáticas da Cooperação Internacional, o seu papel enquanto Agentes na mobilização e na advocacia junto dos (as) nossos (as) decisores (as) políticos (as). Para o efeito, a pesquisa envolveu jovens do contexto das Juventudes Partidárias Portuguesas que, já tendo responsabilidades representativas no sistema partidário, terão provavelmente no futuro responsabilidades governativas ou legislativas.

_ler paper

 

UNICEF divulga relatório sobre desigualdades extremas que ameaçam as crianças mais desfavorecidas

De acordo com o relatório da UNICEF agora divulgado, sobre as crescentes desigualdades que ameaçam as crianças mais desfavorecidas, cerca de 69 milhões de crianças com menos de cinco anos de idade podem morrer de causas que poderiam ser evitadas, 167 milhões de crianças vivem na extrema pobreza, e 750 milhões de mulheres-criança casarão até 2030. No entanto, o relatório observa que houve um progresso que se deve assinalar na erradicação da pobreza de crianças, as taxas globais de mortalidade reduziram face a 1990, mais crianças frequentam a escola em cerca de 129 países e o nº de pessoas que vivem na pobreza extrema no mundo inteiro é quase metade em comparação com o que se verificava em 1990.

_ler +

 

World Development Indicators 2016

World Bank Publications disponibiliza o World Development Indicators 2016, um relatório que fornece uma recolha estatística comparada a nível internacional sobre o Desenvolvimento. Dirige-se a governantes, estudantes, analistas, professores, gestores e cidadãos em geral focados na erradicação da pobreza e na promoção do Desenvolvimento mundial. Seis temas são utilizados para organizar os indicadores: as pessoas, o meio ambiente, a economia, os estados e os mercados, e as ligações globais.

_ler +

“What’s the likely impact of Brexit on development, aid and Oxfam? Any opportunities amid the gloom?”, por Duncan Green (30 jun, 2016)

Duncan Green, professor na London School of Economics e Senior Strategic Advisor da Oxfam GB, que é uma referência nos Estudos do Desenvolvimento e que recentemente (22-24 junho) realizou a Summer School: Development in Practice: How Social Changes Happens? no âmbito do conjunto de seminários em Estudos do Desenvolvimento, promovidos pelo CEsA/CSG/ISEG, lançou no seu blogue - From Poverty to Power, um conjunto de pistas para pensar os impactos nefastos e/ou proveitosos do Brexit no Desenvolvimento: “So does ‘crisis ‘ really equal ‘danger’ + ‘opportunity’?”

_ler +

 

SEMINÁRIOS REALIZADOS | Consulte os materiais disponíveis

_aqui

 

PUBLICAÇÕES

_aqui

 

CALLS/CONFERÊNCIAS

 

Conferência Internacional Activismos em África

O Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (CEI-IUL) promove nos dias 12-13 de Janeiro de 2017, a Conferência «Activismos em África», com o propósito de debater o papel da sociedade civil perante o Estado ou corporações privadas, novos perfis do activismo social em África e as perspectivas de mudança trazidas pelos mesmos. Os resumos devem ser submetidos até 30 de Setembro de 2016.

 

International Development Economics Colloque 2016

O GDRI (Groupe de Recherche International en Économie Internationale du Développement) e a rede IDE (Economie Internationale du Développement), que reúne investigadores e instituições europeias financiadoras, incluindo do CNRS (Centre National de la Recherche Scientifique), realizam o seu primeiro colóquio bienal no CERDI (Centre d'Études et de Recherches sur le Développement International) em Clermont-Ferrand, de 3 a 4 de Novembro de 2016. Este colóquio surge num contexto de "renovado interesse na economia do Desenvolvimento, o que justificou a expansão dos programas de investigação, em particular, o campo da economia experimental". Os envios devem ser realizados até antes do dia 31 de julho de 2016. Os resultados serão conhecidos a 15 de setembro de 2016.

 

2º Congresso Internacional de História da Construção Luso-Brasileira

Realiza-se de 14 a 16 de setembro de 2016 na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), o 2º Congresso Internacional «História da Construção Luso-Brasileira». Este congresso pretende constituir um fórum multidisciplinar de debate dos estudos mais recentes sobre a história dos processos construtivos, entre Portugal e o Brasil, nas suas múltiplas influências que passam igualmente pela Europa, a Ásia e a África.

 

Congresso Diu e os Diuenses: Perspectivas Multidisciplinares

A FLUL e ISCTE-IUL convidam para apresentação de propostas de comunicações individuais ou em parceria para o Congresso «Diu e os Diuenses: Perspectivas Multidisciplinares», dias 27 e 28 de Outubro de 2016, que reflictam investigações sobre Diu, o seu território ou a sua população nas mais diversas disciplinas académicas e metodologias. Data limite 30 de Julho de 2016.

 

Submissão de artigos Revista Ciências e Políticas Públicas

O Centro de Administração de Políticas Públicas (CAPP/ISCSP) lança uma call for papers para o volume II da Revista «Ciências e Políticas Públicas», a serem publicados em 2016. Trata-se de uma revista científica bianual que reúne a investigação de académicos, policymakers, policy enforces e agentes sociais. A 2ª chamada termina a 31 de Agosto de 2016 (Vol.II, nº2).

 

2nd CODESRIA/CASB Summer School

O Council for the Development of Social Science Research in Africa e o Centre for African Studies Basel organizam, entre 22 e 27 de Agosto de 2016, em Dakar, a 2nd CODESRIA/CASB Summer School in African Studies and Area Studies in Africa, com o tema Interdisciplinarity in Area Studies: Basic and Applied Research.

 

IX Conferência Científica UEM

A Universidade Eduardo Mondlane (UEM) realiza, de 27 a 28 de Setembro de 2016, a IX Conferência Científica dedicada ao tema: «Investigação para o Desenvolvimento: Tendências, Desafios e Perspectivas».

 

12ª edição da Conferência Internacional da AFD

A 12ª edição da Conferência Internacional da Agence Française de Développement, que decorre entre 1-2 de Dezembro de 2016, em Paris.

 

_arquivo calls/conferências

 

MECANISMO | Consulte as linhas de financiamento internacional disponíveis

O CEsA dinamiza um mecanismo de pesquisa de financiamento internacional dirigido especialmente a ONGD portuguesas. O «Mecanismo» é promovido por quatro fundações portuguesas: Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação EDP, Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e Fundação Portugal África, com o apoio do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua. Consulte as linhas de financiamento actualmente em curso.

 

_aqui

 

NEWSLETTER CEsA

Para receber notícias sobre as actividades do CEsA na sua caixa de correio virtual envie-nos os seus dados.

 

_arquivo newsletters