Curso tal como ministrado no
Mestrado em Desenvolvimento e Cooperação Internacional
ISEG-Instituto Superior de Economia e Gestão
Universidade Técnica de Lisboa / Portugal

 

ATENÇÃO: para voltar ao texto do curso utilize o back do seu browser


Cap. 4 - Introversão e extroversão das economias:
da "industrialização por substituição de importações" (ISI)
à "orientação para as exportações"

O objectivo fundamental deste capítulo é estudar as principais características e as políticas económicas que caracterizam aquelas que podem ser consideradas as duas principais estratégias de desenvolvimento --- e que são essencialmente estratégias de industrialização. Trata-se das que privilegiam (privilegiaram...) o mercado interno (ISI) ou o mercado internacional (produção de bens para exportação).

Estas duas estratégias surgem usualmente como tendo características dicotómicas por a elas estarem associadas algumas medidas de política económica que tendem a estar nos antípodas umas das outras. Porém e na realidade de muitos países não é incomum encontrar algum tipo de coabitação entre ambas as estratégias, sendo uma, normalmente, a que caracteriza, em geral o conjunto mas podendo a outra aparecer associada a determinados sectores produtivos, nomeadamente um ou outro que as autoridades económicas nacionais consideram estratégicos quer por razões puramente económicas quer por razões de carácter político quer, até, geoestratégico.

Contrariamente ao que sucede com outros pontos do programa este não conta com o apoio bibliográfico de um texto de minha autoria. Assim sendo a bibliografia abaixo indicada/sugerida tem um papel ainda mais importante na compreensão dos principais aspectos que julgamos serem de enfatizar nas referidas estratégias
 

Veja a biliografia

Bibliografia Top

NOTA: as referências que se seguem são apenas algumas das muitas existentes sobre o tema central deste capítulo. Os textos referenciados servem para apoiar bibliograficamente uma investigação sobre o assunto. Os que estão disponíveis na INTERNET (que estão "linkados") são uma boa porta de entrada num manancial cada vez maior de informação sobre o assunto. Sugere-se vivamente ao leitor que "navegue" o mais possível em busca de nova documentação.
'Sites' como os do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial devem ser consultados regularmente, o mesmo acontecendo, para uma visão "alternativa" ao destas organizações internacionais, com vários 'sites' agregados no da ONEWORLD.

Uma biblioteca consultável através da INTERNET é a do ISEG/UTL - Económicas" através da escolha do item "Biblioteca" no 'site' do Instituto.

Definição (simples) de ""substituição de importações/import substitution": http://en.wikipedia.org/wiki/Import_substitution

BENÍCIO, A. e outro "A estratégia de substituição de importações revisitada" in Revista Análise Econômica, edição nº 31, Ano 17, Março de 1999

BUSANELLO, A. e outros Processo de Substituição de Importações - Uma Análise do Período 1930-1960, Luziânia (Goiás, Brasil); trata-se de uma análise do processo económico brasileiro que ajuda a compreender os traços fundamentais da estratégia de substituição de importações e das políticas económicas que lhe andam normalmente associadas --- incluindo no Brasil.

SCHMITZ, Hubert 'Industrialisation strategies in less developed countries: some lessons of historical experience' in Journal of Development Studies, Vol.21, No.1, 1984


Programa detalhado do curso | ISEG | Mestrado DCI | CEsA | Autor

Autor: António M. de Almeida Serra; aserra@iseg.utl.pt

Copyright © A.M. de Almeida Serra, 1998-2008
Última versão: 29 de Março de 2008