Joom!Fish config error: Default language is inactive!
 
Please check configuration, try to use first active language

CEsA f | Glossary

There are 300 entries in this glossary. new entry
All a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z
Page:  1 2 Next »
entry
article
key words: Cabo Verde, diáspora, educação

A FASCP - Associação Fundo de Apoio Social de Cabo-Verdianos em Portugal foi fundada em Setembro de 2003 e, desde 2005, é reconhecida como ONGD pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e pelo Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural. A sua sede localiza-se na Quinta do Conde, Sesimbra.

A associação foi constituída por indivíduos maioritariamente cabo-verdianos residentes em Portugal para responder e agir contra as dificuldades encontradas pelos imigrantes cabo-verdianos, mas não exclusivamente. O apoio fornecido abrange áreas como a saúde (o sector principal), o apoio social e a integração dos mais desfavorecidos e vulneráveis (jovens, crianças, idosos, entre outros).

O FASCP trabalha em parceria com o Banco Alimentar contra a Fome e instituições ligadas directamente à comunidade cabo-verdiana, como a Embaixada de Cabo Verde, a Plataforma das associações cabo-verdianas e a Federação das Organizações de Cabo Verde em Portugal, que possui a função de estabelecer a união e as parcerias entre as associações cabo-verdianas presentes em Portugal.

PROJECTOS

A associação fornece apoio em sectores tão diversos como a habitação (ajuda ao alojamento), a educação (formação e orientação escolar e profissional), a cultura (animações socioculturais), o desenvolvimento rural, a informação, debates (como o debate sobre "A família na diáspora"), acompanhamento (psicológico, inscrições em instituições públicas ou privadas em Portugal: segurança social, centro de saúde, hospitais, etc.).

As acções desenvolvidas promovem a integração e inserção dos imigrantes em Portugal, independentemente da sua origem, apesar de orientar os seus projectos especificamente para a comunidade cabo-verdiana residente em Portugal e no país de origem.

A actuação do FASCP incide particularmente no sector da saúde, fornecendo assistência medicamentosa, alimentar e agindo também na prevenção. Através das sua acções e projectos o FASCP fornece um combate activo e consciente a doenças nomeadamente as doenças sexualmente transmissíveis (DST) como exemplifica o projecto de educação “O papel da juventude na promoção da saúde” realizado nas ilhas de Cabo Verde e em Portugal, de forma a educar e sensibilizar as camadas mais jovens.

Como complemento a este projecto, o FASCP criou o programa Nós saúde, Nós Requesa, em 2007, que abrangeu igualmente o sector da saúde e da educação das camadas mais jovens da população, particularmente estudantes do ensino secundário. Através da formação de formadores (professores, técnicos de saúde, educadores e alunos), de um plano de intervenção e de actividades específicas o projecto pretendeu contribuir para a redução de novos casos de DST, de gravidez juvenil, impulsionar novas dinâmicas e apoiar a criação nas escolas de condições de apoio aos jovens (constituição de estruturas locais de apoio).

A associação tem ainda em agenda o projecto Mãos Unidas que visa a criação de um lar de acolhimento para os doentes evacuados. Este lar também desempenhará um papel social de apoio não só a doentes mas igualmente a jovens através de diferentes formas de apoio, acompanhamento social e intervenção.

Na sequência de um trabalho que tem vindo a ser desenvolvido desde 2008, promovido pela ADPC (African Diaspora Policy Centre), em Fevereiro de 2010, o FASCP esteve presente no Diáspora Expert Meeting com vista à criação de uma plataforma europeia para as organizações pertencentes à diáspora africana na Europa.

Os relatórios de actividades e contas não estão acessíveis no site da instituição.

CONTACTOS

Rua Manuel de Arriaga, Lt-1342, 3ºDto

2975-329 Quinta do Conde

E-mail: presidente@fascp.org e secretariado@fascp.org

Site: www.fascp.org

NOTA

Informação ainda não confirmada pela instituição

article
key words: educação, formação, países lusófonos, Goa

A FCL – Fundação Cidade Lisboa nasceu em 1989 como instituição privada, gozando do estatuto de pessoa colectiva de utilidade pública, tendo o Ministério da Cultura reconhecido o superior interesse cultural das actividades por ela desenvolvidas, para efeitos mecenáticos.

Está representada no Conselho de Administração e de Patronos da Fundação Arpad Szénes-Vieira da Silva, no Conselho de Curadores da Fundação Manuel Cargaleiro e é membro fundador da Fundação Portugal – África. É ainda membro do Centro Português de Fundações, do European Foundation Centre e da Plataforma Portuguesa das ONGD. A sua sede localiza-se em Lisboa.

Constituem objectivos da FCL a defesa dos valores culturais, artísticos, monumentais, turísticos, etnográficos, educativos e sociais da cidade de Lisboa e o desenvolvimento das relações de intercâmbio e cooperação entre Portugal e outros países, nomeadamente de língua oficial portuguesa.

A actuação da fundação insere-se nas áreas da cultura, da formação, educação, artes, intervenção social e Cooperação para o Desenvolvimento.

PROJECTOS

Em Portugal, sendo uma das finalidades do FCL o desenvolvimento das relações e intercâmbio entre Lisboa e outras cidades, a nível nacional e internacional, nomeadamente com as de língua oficial portuguesa, a sua acção tem tido, desde o seu início, particular incidência na formação de jovens africanos, através do projecto Colégio Universitário da Cooperação – Nuno Krus Abecasis. Este projecto tem por objectivo a concepção de bolsas de estudo a 40 bolseiros por ano, provenientes de Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa permitindo, deste modo, uma formação individualizada e o mais completa possível.

O projecto teve início em 1990 e concedeu até ao momento um total de 512 bolsas de estudo. Inclui a frequência obrigatória de um programa cultural organizado pela FCL, incluindo visitas de estudo, aulas de português - língua, cultura e literatura - palestras e debates e, ainda, a componente profissional, através da realização de estágios de trabalho junto de empresas e instituições ligadas a esta vertente.

A Fundação Cidade de Lisboa dispõe ainda da Residência do Colégio Universitário da Cooperação, instalada nos pisos superiores da sede, com capacidade para 44 estudantes, com espaços de convívio, salas de estudo, biblioteca, sala de computadores e sala de visitas.

A fundação tem também um projecto editorial, através do qual edita obras que revelam a presença dos portugueses no Mundo.

Desde a sua formação, a FCL tem assinado inúmeros protocolos com instituições públicas e privadas em Portugal. Destaca-se o protocolo com o INEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil para efeitos de Cooperação na Área da Investigação, Formação Técnica e Tecnológica. Ao abrigo deste acordo, o INEC promove e coordena acções de investigação e desenvolvimento experimental, apoio técnico e formação necessária ao progresso da engenharia civil e da indústria da construção, enquanto que a FCL sensibiliza e cria elos de ligação com empresas portuguesas do ramo que, entendendo o alcance deste projecto, a ele aderiram. Para além do patrocínio das bolsas de estudo, recebem estes estagiários nos seus estaleiros, fornecendo-lhes uma componente prática.

Em Goa, a fundação desenvolve o projecto Portugal-Goa: Cultura e Amizade, que tem por objectivo desenvolver as relações histórico-culturais, conferindo-lhe uma base sólida e perdurável e estreitando os laços de amizade com a Índia, através do Estado de Goa.

Já em Cabo Verde, o projecto Formar no Feminino visa contribuir para o aumento da empregabilidade de mulheres e sua integração no mercado de trabalho na Ilha de Santo Antão – Cabo Verde assegurando, simultaneamente, melhores condições de saúde materno-infantil. Para tal a Fundação Cidade de Lisboa e o principal parceiro local, a ONG Atelier Mar, formam monitoras para o apoio à primeira infância, capacitar e apoiar o empreendedorismo das mulheres dos três concelhos da ilha e promovem campanhas de sensibilização por uma maternidade mais assistida nas zonas mais empobrecidas de Santo Antão.

A médio prazo a fundação pretende dar continuidade aos projectos em curso e implementar novos projectos de carácter cultural.

No site da organização não estão disponíveis para consulta os relatórios de actividades e contas.

CONTACTOS

Campo Grande, 380

1700-097 Lisboa

Telefone: (+351) 217 568 241

Fax: (+351) 217 568 248

E-mail: fclisboa@mail.telepac.pt

Site: www.fundacaocidadedelisboa.pt

NOTA

Informação ainda não confirmada pela instituição

article
key words: Cooperação para o Desenvolvimento, Educação para o Desenvolvimento, Igreja Católica, Voluntariado

A FEC, instituição com estatuto de utilidade pública, é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) reconhecida pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e pela União Europeia. Criada em 1990 pelos bispos portugueses, é um órgão autónomo da Conferência Episcopal Portuguesa, que actua com dioceses, congregações religiosas e actores da sociedade civil para o reforço de capacidades de pessoas, comunidades e instituições, sobretudo, nos países de expressão portuguesa. É membro de várias redes, entre as quais: Plataforma Portuguesa das ONGD, Confederação Portuguesa de Voluntariado e Cooperação Internacional para o Desenvolvimento e Solidariedade - CIDSE. A sua sede localiza-se em Moscavide.

A FEC promove o desenvolvimento humano integral através da cooperação e solidariedade entre pessoas, comunidades e Igrejas, inspirada pelo Evangelho e pela Doutrina Social da Igreja Católica. A sua metodologia assenta em três princípios orientadores: 1) construção de parcerias sólidas e redes de trabalho; 2) preocupação com a sustentabilidade nas suas vertentes económica, social e ambiental como critério permanente na sua tomada de decisão; 3) profissionalismo e transparência na gestão e administração de recursos e na prestação de contas aos seus financiadores e público em geral.

São duas as áreas estratégicas de acção: Cooperação para o Desenvolvimento e Educação para o Desenvolvimento e Advocacia Social (ED & AS). Na Cooperação, educação, saúde e capacitação institucional são os sectores prioritários da sua acção. Transversalmente o trabalho integra as questões de género, sustentabilidade ambiental, advocacia social e comunicação social. Na ED & AS, assume como estratégia a sensibilização e formação da opinião pública para a cooperação e o desenvolvimento sustentável.

PROJECTOS

Desde 1999 na Guiné-Bissau, a FEC desenvolve um programa que envolve projectos em diversos sectores. A educação é a principal área de intervenção neste país. Para a capacitação de agentes educativos (educadores, professores, directores de escola, dirigentes associativos) e comunidades, a FEC desenvolveu o «PAEIGB – Projecto de Apoio à Educação no Interior da Guiné-Bissau» (2001-2007), o «+ Escola» (2007-2009), «Djunta Mon» (2009-2012) e «Bambaram di Mindjer» (2009-2014). A capacitação institucional da Cáritas da Guiné-Bissau e de outros organismos da Igreja Católica e da sociedade civil fazem parte de acções integradas.

Em Angola, o Projecto de Apoio à Educação Básica em Angola (2004-2006) e o projecto de alfabetização «Educação em Movimento» em Moxico (2008-2010) incidiram na educação. O «Programa de Saúde Materno-Infantil» (2009- 2011) pretende alcançar a melhoria no acesso aos cuidados primários de saúde. «Twendela kumwe» incide na capacitação institucional da Cáritas de Angola e das 19 delegações no país (2010-2012). Na investigação, participa no projecto «Papel das organizações da sociedade civil na educação e formação: caso de Angola, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Moçambique» (2010-2012) liderado pelo CEA do ISCTE. Para todos os países lusófonos, a FEC lança a Campanha Presentes Solidários desde 2007 para reforço de projectos locais. Em Portugal, assegura a gestão de três redes: Voluntariado Missionário, Cooperação Descentralizada e Fé e Desenvolvimento.

Os principais financiadores da organização são o IPAD – Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, o Alto Comissariado para a Saúde, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, a Fundação Calouste Gulbenkian, a PLAN Guiné-Bissau, SNV, os Municípios de Santa Maria da Feira, Vagos, Portimão, Cascais, Santarém, Faro e a União Europeia.

Os relatórios de actividades e financeiros estão disponíveis no site da instituição.

CONTACTOS

Quinta do Cabeço, Porta D

1885 - 076 Moscavide

Telefones: (+351) 218 861 710 / 218 855 478

Fax: (+351) 218 861 708

E-mail:geral@fecongd.org

Site: www.fecongd.org

BIBLIOGRAFIA
  1. Avillez, Ana. e Neres, Ana. (2010). Pedagogia positiva para aprender sem medo. Guiné-Bissau: Fundação Evangelização e Culturas e PLAN Guiné-Bissau.
  2. João, Sandra. et al. (2009). Seminário nacional para o desenvolvimento e cooperação descentralizada: recursos e estratégias locais – Brochura de Conclusões e Recomendações. Lisboa: Fundação Evangelização e Culturas.
  3. Laranjeiro, Catarina, (2009). Avaliação de Impacto da Intervenção da FEC nas Escolas de Auto-Gestão do Oio. Guiné-Bissau: Fundação Evangelização e Culturas.
  4. Lopes, Catarina, (2010), Recortes da História da Guiné-Bissau, Lisboa: Fundação Evangelização e Culturas.
  5. Lopes, Catarina, et al. (2010), Quando a sala de aula vai para a rua. Testemunhos de letrados sobre alfabetização. Lisboa: Fundação Evangelização e Culturas. Produtos e materiais pedagógicos de apoio a Projectos de Cooperação para o Desenvolvimento (Sector Educação)
article
key words: CERCI, deficiência, reabilitação

Fundada em Abril de 1985, a FENACERCI – Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social é uma instituição de utilidade pública que representa as Cooperativas de Solidariedade Social, espalhadas por todo o país que facultam atendimento directa ou indirectamente a cerca de oito mil crianças, jovens e adultos com deficiência intelectual e/ou multideficiência. A instituição nasceu dez anos depois da criação da primeira CERCI (Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados), tendo em consideração a vontade e necessidade de um grande número de CERCI existentes no nosso país, em dar corpo a um órgão de cúpula que fosse representativo e simultaneamente dinamizador de acções que pudessem apoiar estas cooperativas e sensibilizar a opinião pública para os problemas da população com deficiência intelectual e/ou multideficiência e suas respectivas famílias.

Por conseguinte, a FENACERCI tem tido, desde 1985, um papel de relevo, de longe ainda não esgotado, na definição dos contornos das valências de apoio que as cooperativas têm vindo a estruturar nos últimos anos, quer fomentando a utilização de métodos de trabalho adequados e eficazes, quer promovendo trocas de experiências entre elas.

A sua sede localiza-se em Lisboa.

Enquanto interlocutora institucional das Cooperativas de Solidariedade Social, a FENACERCI promove uma intensa actividade junto de estruturas diversas como o INR – Instituto Nacional para a Reabilitação, o IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional, o ISS – Instituto da Segurança Social e a DGIDC-Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular, integrando vários grupos de trabalho.

Para além do apoio às CERCI a nível nacional, a FENACERCI tem como objectivo sensibilizar e formar a opinião pública, intervindo junto dos meios de comunicação social, facilitando uma mudança de atitude que permita uma melhor integração das pessoas com deficiência intelectual e/ou multideficiência.

PROJECTOS

Em 2002, a FENACERCI lançou o projecto Aventuras 2 – Mundo das Palavras, dos Sons e das Imagens, uma ferramenta num ambiente virtual de aprendizagem interactivo inclusivo que pretende favorecer o desenvolvimento de competências de leitura e escrita.

Já o projecto FACE – Formar Facilitadores de Acesso ao Emprego, tal como o nome indica, teve como objectivo disponibilizar um conjunto de instrumentos e acções formativas, destinadas a públicos alvo que não tendo funções formativas específicas, pudessem desempenhar um papel fundamental na promoção da empregabilidade e na facilitação do acesso ao mercado de trabalho.

Entre 2000 e 2002, a FENACERCI esteve envolvida no projecto europeu Eu, Tu e Nós na Europa Comum, uma iniciativa conjunta com outros países europeus (Bélgica, Dinamarca, Finlândia, Itália, Espanha e Reino Unido) que abordou a discriminação do ponto de vista das “vítimas” – pessoas com dificuldades de aprendizagem/deficiência mental que no seu dia a dia são confrontadas com situações de discriminação. No final foi elaborado um Manual de Apoio que revista os os instrumentos políticos existentes na Europa para combater a discriminação (a versão digital apenas está disponível em inglês; pode ser solicitada a versão portuguesa junto à FENACERCI). O objectivo último do projecto foi o de desencadear um movimento que dê origem a uma directiva europeia específica para deficiência, assim como existe para a discriminação com base na raça ou etnia.

Reconhecendo o importante papel dos media na educação e construção de ideias da sociedade, a FENACERCI desenvolveu o projecto Real Live Media (http://www.fenacerci.pt/realivemedia/) que criou ferramentas de apoio aos jornalistas que trabalham a questão da deficiência. O principal objectivo do projecto é melhorar a imagem das pessoas com deficiência na comunicação social e sensibilizar a opinião pública sobre os direitos, responsabilidades, potencialidades e cultura dos cidadãos com deficiência na União Europeia, agindo também como um agente de mudança de modo a promover a inclusão social e a não discriminação.

Uma das preocupações da FENACERCI tem a ver com a dificuldade da inclusão e inserção no mercado de trabalho de indivíduos portadores de deficiências. Nesse sentido, ao longo dos anos, tem desenvolvido projectos nesta área como o programa IODO – Iguais Oportunidades, Diversas Opções que pretende, recorrendo ao marketing social, aumentar a taxa de empregabilidade das pessoas com dificuldades de inserção, melhorar a sustentabilidade do emprego e o nível de participação destas pessoas na gestão da sua participação no trabalho. Ainda nesta área, foi criado também o projecto LABOR, cujo grande objectivo foi, não só, a recolha de informação existente nas áreas da legislação, políticas de mercado de trabalho, métodos e abordagens, mas também a exposição de alguns estudos de caso, elucidativos de histórias com sucesso ao nível da empregabilidade de pessoas com deficiência Intelectual, entre outros projectos idênticos que podem ser consultados no site da organização.

A FENACERCI participa e organiza também em debates como o seminário “Alargamento para Todos”, sobre o alargamento da União Europeia a mais 13 países e o debate “Imigração, Minorias Étnicas, Deficiência e Acesso ao Mercado de Trabalho”.

Anualmente, a FENACERCI realiza as Jornadas de Lazer, uma actividade que em 2010 está na 14.ª edição. Esta é uma actividade que procura dar resposta aos utentes das várias associadas que pelas suas características, não usufruem regularmente das actividades promovidas pela sua organização. Ao longo das várias edições desta iniciativa o número de participantes foi aumentando gradualmente, contando actualmente com mais de uma centena de participantes.

Em curso está o projecto Q3 de qualificação de pessoas e organizações do Terceiro Sector, melhorando a qualidade das suas prestações, a eficácia da gestão e contribuindo para a sua competitividade e sustentabilidade.

A FENACERCI está também a desenvolver actualmente o projecto Violência, Infância e Deficiência: Prevenção Primária com as Famílias, que tem por objectivo a prevenção da violência sobre crianças com deficiência, focando especialmente o papel das famílias enquanto primeiros prestadores de cuidados.

O principal financiador da instituição é a UE – União Europeia.

Os relatórios anuais de contas e de actividades não estão disponíveis no site da instituição. Porém, vários projectos apresentam o relatório de contas auditado, bem como o balanço de final de projecto.

CONTACTOS

Rua Augusto Macedo, nº2ª

1600-794 Lisboa

Telefone: (+351) 217 112 580

Fax. (+351) 217 112 581

E-mail: fenacerci@fenacerci.pt

Site: www.fenacerci.pt

NOTA

Informação ainda não confirmada pela instituição

article
key words: advocacy, Cooperação para o Desenvolvimento, Educação para o Desenvolvimento, jesuítas

Constituída em 2004, a FGS – Fundação Gonçalo da Silveira é uma ONGD, promovida pelos Jesuítas e tem como objectivo a divulgação, sensibilização e captação de recursos necessários aos projectos e acções que os missionários desenvolvem nas áreas da acção social, educação, saúde e desenvolvimento comunitário.

Para além de ser membro da Plataforma Portuguesa de ONGD, a organização é um dos membros fundadores da Fundação Rede Xavier, com outras cinco instituições europeias congéneres da Companhia de Jesus. Tem sede em Lisboa.

A FGS tem como objectivos lutar contra a pobreza e pela melhoria das condições de vida das comunidades mais desfavorecidas, em particular nos países lusófonos; e promover o conhecimento e sensibilidade para os problemas do desenvolvimento que conduzam a uma cidadania activa e solidária.

Nesse sentido, a fundação intervém em diversas áreas como o Apoio ao Desenvolvimento, através da realização de campanhas e projectos que visam apoiar as comunidades mais desfavorecidas; e nos mais variados sectores, entre os quais a educação, a saúde, a agricultura, a promoção social e a pastoral.

A Educação para o Desenvolvimento é outra das vertentes de actuação da FGS que realiza projectos de formação, assessoria, lobbying e advocacy com o intuito de sensibilizar a comunidade portuguesa para os problemas do desenvolvimento.

E ainda a Ajuda Humanitária de Emergência, através da realização de campanhas de angariação de fundos destinados a parceiros locais para situações de emergência devido a catástrofes naturais e conflitos.

PROJECTOS

A FGS foi criada para coordenar o apoio às missões dos Jesuítas em países como Moçambique, Angola,Timor e Portugal, embora estejamos a ampliar a nossa área de actuação, bem como os países de implementação dos nossos projectos.

Actualmente encontramo-nos à procura de financiamento para projectos essencialmente em Moçambique e no Burkina Faso. Em Moçambique, em contexto urbano, na cidade de Tete, o objectivo principal é construir um Centro Cultural e Académico Pedro Arrupe (ESCAPA) que visa apoiar a educação, o ensino e a investigação através de uma biblioteca, salas de estudo, ensino de informática e acesso à internet; sensibilizar para o HIV/Sida e promover actividades culturais. Nos arredores da cidade de Maputo, no Fomento, é necessário reabilitar, alargar e equipar a biblioteca e sala de leitura do Centro Social e Paroquial de São João Baptista, de modo a criar condições dignas para a utilização do espaço para estudo individual e em grupo, formações, palestras, capacitação, sendo especialmente usado por jovens estudantes, mas também por adolescentes, adultos e idosos.

No Alto da Manga, bairro circundante da cidade da Beira, é também necessária a renovação e expansão do Centro Cultural e Académico João de Deus Kamtedza, que já se encontra a funcionar, mas actualmente em condições precárias. É necessário renovar as estruturas existentes e construir um novo edifício que visa apoiar a educação, o ensino e a investigação, através de uma biblioteca, salas de estudo, ensino de informática e acesso à internet, bem como pretende levar a cabo actividades de sensibilização para o HIV/sida e promoção de eventos culturais.

Por outro lado, a FGS tem decorrer e já co-financiado pelo IPAD, um projecto em contexto rural, também na zona da Beira - Nhangau, que envolve actividades de construção de escolas, agricultura, saúde e educação. Pretende-se erradicar o isolamento em que vivem estas populações, ao participar no processo de alfabetização e formação profissional dos habitantes, de forma a promover a participação e envolvimento da comunidade no seu processo de desenvolvimento, com benefícios individuais e colectivos a nível de sustentabilidade, organização e soberania e segurança alimentar.

O projecto no Burkina Faso centra-se nas áreas de água e saneamento, tendo como objectivo principal a melhoria do acesso à água em 100 aldeias na região de Kaya, bem como promover a utilização de melhores serviços de saneamento para cada família e fornecer uma educação de base na área da saúde.

Os principais financiadores são o IPAD – Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, doares privados e empresas.

Apesar de estar prevista uma categoria para inclusão dos relatórios no site da instituição, não se encontra de momento activa. De acordo com a organização, a questão está a ser tratada com um programador e ficará resolvida em Fevereiro. Entretanto os relatórios podem ser solicitados para consulta directamente à FGS.

CONTACTOS

Estrada da Torre nº26

1750-296 Lisboa

Telefone: (+351) 217 541 627 / 217 541 620

Fax: (+351) 217 541 629

E-mail: geral@fgs.org.pt

Site: www.fgs.org.pt

BIBLIOGRAFIA
  1. Francisco Correia, sj (2006), O venerável Padre Gonçalo da Silveira – Proto-mártir da África Austral (1521-1561), Editorial A.O. - Braga
article
key words: ONGD sem informação disponível online
NOTA:

ONGD sem informação disponível online

CONTACTOS

Rua Palmira Bastos, n.º 7, 5.º Dto.

2685-226 Portela

Telefone: (+351) 213 652 807 / 918 295 645

Fax: (+351) 213 565 788

E-mail: fidescoportugal@emmanuel.info

article
key words: a determinar

a determinar

article
key words: ONGD sem informação disponível online
NOTA:

ONGD sem informação disponível online

CONTACTOS

Rua dos Sapateiros,39 - 4º Esq.

1100-576 Lisboa

Telefone: (+351) 213 473 547

Fax: (+351) 213 426 485

E-mail: flac@mail.telepac.pt

article
key words: crianças, mulheres, saúde, Timor-Leste

A FMT – Fundação Mater-Timor é uma ONGD, reconhecida pelo MNE – Ministério dos Negócios Estrangeiros, criada para desenvolver o projecto de construção e colocação em funcionamento de uma maternidade-escola, em Timor-Leste, que para além de dar toda a assistência antes e depois do parto ás grávidas de risco, servisse também de local de formação de técnicos (enfermeiras parteiras) especialistas em obstetrícia e apoio materno – infantil.

A ideia da sua formação surgiu nas comemorações do Jubileu em 2000, em que a Igreja portuguesa dinamizou a iniciativa de colaboração com a Diocese de Díli. O Papa João Paulo II concedeu a este projecto um apoio especial através de um donativo pessoal. Também a FIAMC – Federação Internacional das Associações de Médicos Católicos se associou ao projecto desde o início. A sede localiza-se em Lisboa.

A fundação tem como visão contribuir para a melhoria da saúde materno-infantil em Timor, através da criação de instituições humanitárias e de assistência médica, sendo uma iniciativa da igreja portuguesa.

O objectivo da criação da maternidade-escola Nossa Senhora de Fátima é reduzir a taxa de mortalidade materna e infantil em Timor-Leste, através da assistência às mães com gestação de risco e da formação de pessoal de saúde para assistência materno-infantil.

Além disso, a maternidade disponibiliza ainda o rastreio do cancro do colo do útero e um serviço de vacinas prioritário para a saúde materno-infantil em Timor.

A missão da FMT passa também por transferir a gestão e manutenção do projecto para uma fundação local dirigida pela Diocese de Díli, criando mecanismos de sustentabilidade de recursos humanos e materiais.

Com a maternidade-escola em funcionamento, a FMT estima dar assistência de qualidade durante a gravidez e o parto a 4.400 grávidas por ano, bem como a dar assistência médica neonatal a 4.400 recém-nascidos por ano. Além disso, prevê dar assistência ginecológica, obstétrica e serviço de urgência obstétrica às grávidas melhorando a sua saúde sexual e reprodutiva, reforçando em simultâneo os recursos humanos locais (enfermeiras, parteiras e médicos) com competências reforçadas pela Escola da Maternidade, através da realização de estágios práticos e sessões de formação. Desta forma, as parteiras formadas na maternidade estarão aptas a formarem outras parteiras locais nos distritos com menos acessibilidade. Está ainda prevista a criação de uma residência de acolhimento equipada para grávidas de risco.

Para além do apoio a nível da saúde materno-infantil, a maternidade poderá ainda funcionar como instrumento de sensibilização junto de comunidades através de parceiros promotores de saúde locais, no âmbito da saúde materno-infantil.

CONTACTOS

Rua da Beneficência, n.º 7 - 1.º

1050-034 Lisboa

Telefone: (+351) 217 931 435 / 217 961 303

Fax: (+351) 217 954 212

E-mail: matertimor@pastoraldasaude.pt

Site: www.matertimor.eu

NOTA

Informação ainda não confirmada pela instituição

article
key words: a determinar

a determinar

article
key words: acção social, cidadania

O Fórum Abel Varzim é uma associação sem fins lucrativos e sem ligações de ordem política, religiosa ou social que tem por objectivo ajudar a promover o exercício da cidadania, através de uma mais consciente intervenção dos cidadãos na sociedade. Foi constituído em 1996 e é actualmente reconhecida como ONGD pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros. A sede localiza-se em Lisboa.

O Fórum nasceu na sequência da realização, em 1994, de um seminário integrado na homenagem ao Padre Abel Varzim, que teve lugar por ocasião do trigésimo aniversário da sua morte e pretende dar continuidade à obra que desenvolveu, como sacerdote e cidadão, na procura de uma maior justiça social e na defesa intransigente da dignidade humana.

Entre as suas actividades, conta-se a organização de colóquios, debates e cursos relacionados com a problemática social e o desenvolvimento, bem como a publicação de livros sobre a obra e a figura do Padre Abel Varzim ou da sua autoria.

A organização edita também a revista Transformar, de periodicidade trimestral, que procura aprofundar a temática e os objectivos que persegue. Esta edição existe ainda em formato digital no site do Fórum.

O Fórum tem como objectivo-base defender os princípios que constituem património da Humanidade e que respeitam e promovem a liberdade e a dignidade da pessoa humana; fomentar, promover e apoiar iniciativas com vista à mudança do país, no sentido de uma maior justiça, solidariedade e desenvolvimento social e contribuir para a mudança da mentalidade e do comportamento dos portugueses, no sentido da realização de uma cidadania plena. Na prossecução dos seus objectivos, a organização pretende cooperar com entidades nacionais ou estrangeiras, no respeito pela dignidade da pessoa, na justiça social e na solidariedade.

PROJECTOS

Entre as suas actividades, conta-se a organização de colóquios, debates e cursos relacionados com a problemática social e o desenvolvimento, bem como a publicação de livros sobre a obra e a figura do Padre Abel Varzim ou da sua autoria.

Com o apoio do Fórum Abel Varzim, foi constituída, em 28 de Agosto de 1996, a associação Centro Social, Cultural e Recreativo Aber Varzim (CSCRAV), congregando os esforços de toda a população que, pondo de parte todas as clivagens existentes, e com o apoio financeiro do Estado, construiu o edifício da sede, inaugurado nesse mesmo ano. A actividade do CSCRAV cobre actualmente a manutenção de uma creche, de um jardim-de-infância e de um centro de Actividade de Tempos Livres. O centro integra também um centro de dia e fornece apoio domiciliário, além de ser um CAT – Centro de Acolhimento Temporária. A construção do CSCRAV contribuiu para o desenvolvimento da aldeia de Cristelo (Barcelos), prestando serviços diversificados à população, como um Gabinete Psicossocial (RSI – Rendimento Social de Inserção), um centro de alfabetização da etnia cigana, apoio médico (pediatria, psicologia e enfermagem) e psicossocial; e ainda um serviço de refeições, servindo mais de 200 refeições diárias. O CSCRAV propõe-se ainda construir um Lar de Idosos, para o que já apresentou candidatura, bem como um polidesportivo e uma piscina.

Os relatórios financeiros e de actividades não se encontram disponíveis no site da instituição.

CONTACTOS

R. Damasceno Monteiro, n.º 1 - r/c

1170-108 Lisboa

Telefone: (+351) 218 861 901

E-mail: forumavarzim@net.sapo.pt e forumavarzim@gmail.com

Site: www.forumavarzim.org.pt

BIBLIOGRAFIA
  1. Cerejo, A. (s/d), Abel Varzim e o seu Tempo, Ed. Fórum Abel Varzim e Multinova
  2. Fórum Abel Varzim (s/d), Abel Varzim – Um Testemunho para Hoje
  3. Varzim, A. (s/d), Abel Varzim: Entre o Ideal o Possível. Antologia de Textos – 1928 / 1964, Ed. Fórum Abel Varzim e Multinova
  4. Varzim, A. (s/d), Procissão dos Passos – Uma Vivência no Bairro Alto, Ed. Fórum Abel Varzim e Multinova
NOTA

Informação ainda não confirmada pela instituição

article
key words: cultura, Desenvolvimento, países africanos

A FPA – Fundação Portugal África foi constituída em 1995, tendo como principal fundador o BFE – Banco de Fomento e Exterior que viria a ser incorporado no Banco BPI quatro anos depois. Além do BPI, seu principal fundador, a fundação conta com 59 fundadores nos quais se destacam 23 empresas, 6 instituições financeiras, 13 universidades e institutos de investigação, 5 associações empresariais, 4 fundações, 2 municípios (Lisboa e Porto), 3 institutos ou comissões da Administração Pública e o Estado português. É, desde 2005, reconhecida como ONGD pelo MNE – Ministério dos Negócios Estrangeiros. A sua sede localiza-se no Porto.

A fundação tem como finalidade contribuir para a realização e incremento de acções de carácter cultural e educacional a desenvolver em Portugal e em África, designadamente junto dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, visando a valorização e continuidade dos laços históricos e de civilização mantidos entre Portugal e os países africanos, numa perspectiva de progresso e de projecção para o futuro.

Nesse âmbito, a FPA pretende contribuir activamente para o desenvolvimento endógeno daqueles países mediante, nomeadamente, a concessão de apoios documentais e financeiros à realização de estudos ou trabalhos sobre África de Língua Portuguesa, a promoção e estímulo à formação de quadros, incluindo, quanto a esta, variadas formas de contacto profissional prolongado com empresas de reconhecida qualidade de organização e gestão, e o fomento da iniciativa e capacidades empresariais.

Com vista a assegurar a prossecução do seu fim, e tendo presente a necessária sensibilização da opinião pública para os problemas ligados à cooperação e desenvolvimento, a fundação colaborara com entidades, públicas e privadas, portuguesas e dos países africanos, e bem como da União Europeia e internacionais.

Além disso, a fundação organiza um espólio próprio de obras de carácter histórico, literário, científico, técnico e artístico, como base de um centro de documentação e divulgação e procura articular com outros centros afins.

A FPA tem privilegiado iniciativas que criam ou reforçam a capacidade produtiva dos Países onde se localizam. Estes projectos deverão resolver problemas concretos, de forma estruturada, com benefícios mútuos para as partes envolvidas.

PROJECTOS

A actividade da fundação assenta, prioritariamente, em projectos de sua iniciativa ou, no caso do Ensino de Artes e Ofícios em Moçambique, a solicitação das autoridades locais.

No campo sócio-cultural, a FPA criou o portal Memória de África e do Oriente, uma base de dados que proporciona uma pesquisa centralizada à documentação existente sobre África, em particular os países lusófonos, e Portugal, facilitando o acesso ao conhecimento adquirido, em particular por Portugal, relativamente a África, evitando o esquecimento da experiência do passado. Constitui um instrumento de grande utilidade, quer para investigadores, quer para os que pretendem acompanhar a reflexão sobre África. É actualmente desenvolvido pela Universidade de Aveiro e o CEsA – Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento.

Está também em curso a criação de um sistema de enquadramento e apoio à diáspora africana que viva fora dos países de origem, que permita desenvolver formas orientadas de comunicação em torno de projectos, nos campos económico e social, com interesse para os respectivos países, facilitando o retorno, em boas condições, de reinserção sócio profissional. A FPA está ainda empenhada na constituição do Observatório de África, ou seja, de uma rede de recolha, análise e divulgação de informação sobre África, abarcando, designadamente, os domínios económico, social e político, dando origem a um observatório geo-estratégico susceptível de produzir documentação credível e especializada sobre África de utilização por empresários portugueses com oportunidades de investimento ou de comércio em países africanos.

Por último, a FPA tem actuado na área da saúde, essencialmente, na prevenção de doenças como a SIDA e o VIH, nos PALOP. Este projecto foi alargado à prevenção da Malária e Tuberculose.

FINANCIAMENTO

A fundação procura manter intacto o seu capital utilizando os rendimentos da sua aplicação para financiar os projectos que lança ou apoia. Esta orientação conduz a procurar associar, em cada caso, o maior número possível de apoios de outras entidades por forma a permitir ter em curso um número significativo de projectos.

Os relatórios de actividades e contas (demonstrações de resultados, balanços e pareceres de auditoria) podem ser facilmente acedíveis para consulta no site da fundação.

CONTACTOS

Rua de Serralves, 191

4150 – 706 Porto

Telefone: (+351) 225 320 310

Fax: (+351) 225 320 311

Email: geral@fportugalafrica.pt

Site: www.fportugalafrica.pt

article
key words: África, educação, solidariedade, voluntariado

A Fundação Champagnat é uma homenagem ao fundador da Congregação dos Irmãos Maristas, Marcelino Champagnat (1789-1840) que se dedicou à formação de crianças e jovens, sobretudo os mais desfavorecidos. Após um período de diálogo e reflexão entre Irmãos e Leigos, a Fundação Champagnat torna-se oficial a 15 de Maio de 1995 através de escritura pública. É uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) e ONGD criada pela Congregação Marista para apoiar projectos sociais em África. Em Portugal apoia a Casa da Criança de Tires.

Com sede em Lisboa, a Fundação Champagnat nasce com dois objectivos bem definidos: promover a melhoria da qualidade educativa e contribuir para a promoção e formação dos mais desfavorecidos.

É ainda seu objectivo colaborar na Educação para a Solidariedade com os países em desenvolvimento, em especial os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), em resposta às suas necessidades e mediante a realização de programas comuns.

Neste sentido, a Fundação desenvolve acções na área da educação, onde promove, cria ou gere centros educativos, dotando-os dos meios possíveis e necessários; e realiza cursos e trabalhos de formação e aperfeiçoamento de pais e professores. Pretende ainda conceder apoio moral e financeiro a estudantes sem recursos suficientes.

Na área do voluntariado, a Fundação prepara e envia cooperantes e voluntários para os países em desenvolvimento, em especial para os PALOP e fomenta a criação de grupos de voluntariado social.

PROJECTOS

Em Portugal, aposta na promoção do voluntariado internacional, em parceria com a ONGD espanhola SED – Solidariedad, Educacións e Desarrollo, com quem organiza campos de voluntariado missionário de curta duração em Moçambique, Zâmbia e Honduras.

Em Moçambique, criou o Centro de Acolhimento e Nutrição do Nivava, que fornece formação ao nível de nutrição e do planeamento familiar. Ainda no Nivava, foi dinamizada a Escola de Formação Técnico-Profissional nas áreas agrícola e pecuária e, em Manhiça e Bilene, a Fundação apoia as Escolas Maristas através da dinamização de projectos sócio-educativos, cursos de Inglês e de Informática, e formação de professores e bibliotecários, também em parceria com a SED.

Através do protocolo celebrado em 1999, entre o Ministério da Justiça, o Ministério da Solidariedade e Segurança Social, a Câmara Municipal de Cascais e a Fundação Champagnat, nasceu a Casa da Criança de Tires, inaugurada em 2001 e com capacidade para 12 crianças. A Casa é gerida pela Fundação Champagnat e tem por objectivo acolher crianças dos 3 aos 10 anos de idade, de ambos os sexos, filhas de reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires e outras crianças em risco, encaminhadas pelo Instituto da Segurança Social.

Na área da Educação para o Desenvolvimento, a Fundação participa no projecto M-Igual? - Igualdade não é Indiferença, é Oportunidade, em parceria com a Fundação Gonçalo da Silveira, o ACIDI e a Inducar. O projecto, orientado para compreender a origem das desvantagens que impedem a igualdade de oportunidades, iniciou-se em nove escolas (públicas e privadas) espalhadas por todo o país para fomentar a tomada de consciência sobre a necessidade de desenvolver atitudes, estratégias e políticas encaminhadas a compensar tais desvantagens e a transformá-las positivamente.

Ainda ao nível da educação, a Fundação participa na Campanha Global pela Educação (CGE), uma coligação internacional de organizações da sociedade civil presente em mais de 70 países, que tem como objectivo pressionar os governos a garantir o direito à educação para todos/as, em particular cumprindo a promessa de atingir o ensino primário gratuito, de qualidade e universal até 2015. A Campanha teve como base de trabalho os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio das Nações Unidas.

Os principais financiadores da fundação são a Província Portuguesa de Irmãos Maristas, a Comunidade Educativa Marista, o Instituto de Segurança Social, os sócios e doadores.

No site da fundação os relatórios de actividades e contas estão facilmente disponíveis para consulta.

CONTACTOS

Estrada de Benfica, 372

1500-100 Lisboa

Telefone: (+351) 217 780 073

Email: funda_champagnat@maristascompostela.org

Site: www.fundacaochampagnat.org

article
key words: apadrinhamento, Igreja, países africanos, voluntariado

Criada pela Província Portuguesa da Sociedade Salesiana, a Fundação D. Bosco – Projecto Vida é uma instituição civil, de direito privado, sem fins lucrativos, de solidariedade e interesse social, oficialmente criada em 2005. Em 2008, foi reconhecida pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros como ONGD e está acreditada como entidade de envio e coordenação de voluntariado no âmbito Programa Juventude em Acção. A sede localiza-se em Lisboa.

O objecto da Fundação D. Bosco é a contribuição do ponto de vista humano, social, económico e técnico, para a erradicação da pobreza no mundo, com especial atenção à infância e juventude, principalmente em Portugal e nos países lusófonos, promovendo o voluntariado e a ajuda humanitária às populações que se encontrem em pobreza extrema.

A prossecução do objecto e fins da fundação poderá ser atingido mediante a cooperação técnica, económica e financeira para fomentar o desenvolvimento social e económico dos países em desenvolvimento (principalmente os países lusófonos) e das regiões deprimidas de Portugal; a ajuda humanitária e programas de reconstrução e reabilitação destinados às populações que se encontram em pobreza extrema e que foram afectadas por situações de catástrofe de toda a natureza; e à promoção do voluntariado como compromisso pessoal e concreto com a população dos países em desenvolvimento.

A fundação intervém ainda ao nível da sensibilização e Educação ao Desenvolvimento da população portuguesa, através da promoção de valores e atitudes tendentes a uma mudança social baseada em critérios de justiça, paz, equidade, democracia, participação, solidariedade e respeito pelo meio ambiente.

PROJECTOS

Actualmente, a fundação tem em curso o projecto Dois Sorrisos, Uma Refeição, que consiste consiste no fornecimento de uma refeição diária a 40 crianças carenciadas da Escola Salesiana de Artes e Ofícios de S. Vicente, Cabo Verde, durante o ano lectivo 2010/2011.

Em Moçambique, mais propriamente na vila de Inharrime, está a ser construído o Complexo Habitacional de Inharrime para Estudantes Carenciados, uma iniciativa que pretende ir ao encontro da necessidade de alojamento de jovens estudantes que, por força das circunstâncias de distância e outras dificuldades, se deslocam para a vila de Inharrime, para poderem ter acesso ao Ensino Profissional na Escola Profissional dos Salesianos. O Projecto consiste na construção de 10 pequenas habitações em estilo tradicional, uma casa para família de acompanhamento, uma cozinha e refeitório e sanitários comuns.

De forma a manifestar a sua solidariedade para com o povo haitiano após o terramoto que assolou a capital em 2009, a Fundação D. Bosco criou a campanha Solidariedade Salesiana Haiti, através de angariação de fundos para os primeiros socorros e reconstrução das Casas de Acolhimento de crianças da rua e dos muitos outros ambientes educativos totalmente destruídos ou gravemente atingidos pelo terramoto. Esta campanha integra-se na rede mundial salesiana de solidariedade, coordenada pela Procuradoria Missionária Salesiana de New Rochelle dos Estados Unidos da América.

Os relatórios de actividades da fundação estão facilmente acedíveis no site oficial, porém não estão disponíveis para consulta os relatórios financeiros.

CONTACTOS

Rua Saraiva de Carvalho, 275 1399-020 Lisboa

Telefone: (+351) 210 900 600

E-mail: fundacao@salesianos.pt

Site: www.fundacaodbosco.org

NOTA

Informação ainda não confirmada pela instituição

article
key words: crianças, Cooperação para o Desenvolvimento, educação

Criada em 1993, a Fundação da Criança é uma instituição particular de solidariedade social sem fins lucrativos, criado com o intuito de apoiar as crianças nas áreas de educação ambiental, lúdico-pedagógica, humanitária, social, cívica e cultural.

Define como prioridade envolver a comunidade, as famílias, idosos e a população desfavorecida, através de actividades educativas, pedagógicas, sociais, culturais, ambientais e lúdicas, tendo sempre em vista a promoção social de menores carenciados tanto ao nível físico como psicológico e económico. A fundação é reconhecida como ONGD pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros. A sua sede localiza-se em Lisboa.

A Fundação da Criança tem como principais áreas de actuação a Educação Ambiental, a Educação para a Saúde, e ainda a Cooperação para o Desenvolvimento.

PROJECTOS

Na área da Educação Ambiental, a organização tem promovido diversos projectos e acções como a participação em feiras de Educação Ambiental até acções de limpeza em diversas praias da costa portuguesa.

Já no campo da Educação e da intervenção social, a fundação organizou ao longo dos últimos anos diversas acções de Educação Alimentar em bairros degradados e projectos de promoção da tolerância e da abolição do racismo e xenofobia como a iniciativa internacional Pinturas Unidas, Amizade sem Fronteiras. Além destas acções, a Fundação da Criança organiza ainda sessões de distribuição de vestuário, calçado e alimentos.

Todos os anos, o Dia Mundial da Criança é uma data que não passa despercebida no calendário da organização que dinamiza uma festa para centenas de crianças. Para as crianças carenciadas da zona de Campolide, a fundação dinamiza o ATL e, em colaboração com a Junta de Freguesia de Campolide, coordena projectos educativos e sociais na freguesia.

Com os projectos levados a cabo pela instituição desde a sua formação, mais de 800 mil crianças do país e a nível internacional foram abrangidas nas actividades da Fundação da Criança. No plano internacional, a fundação inaugurou o seu primeiro núcleo de apoio, fora de Portugal e da Europa, na Ilha do Sal (Cabo Verde), proporcionando assim às crianças daquele país um novo espaço para brincar e aprender. Esta iniciativa teve como principais objectivos, a expansão do projecto ambiental Planeta Azul e acções nas áreas de intervenção social, educação para a cidadania e o programa Bem Ser, Bem Estar, Bem Parecer, havendo a perspectiva de alargamento das mesmas para as outras ilhas do Arquipélago. Em 2005, foram inauguradas quatro bibliotecas e ludotecas na Ilha do Sal, dando continuidade à política de alargamento e expansão da obra que a Fundação tem vindo a realizar naquela ilha.

O site da fundação encontra-se em processo de remodelação. Por esta razão, os relatórios de actividades e financeiro não se encontram online para consulta.

CONTACTOS

Urbanização Vale de Alcântara

Bairro da Liberdade

Lote n.º 4 - Nível 2, Loja 3 e 4

1700-165 Lisboa

Telefone / Fax: (+351) 213 861 311

E-mail: fundacaodacrianca@gmail.com

Site: www.fundacaodacrianca.org

NOTA

Informação ainda não confirmada pela instituição

Page:  1 2 Next »
regulamento