Sessão de encerramento do International Development Summer Course, promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian, Plataforma Portuguesa das ONGDs e CEsA

De 26 a 30 de junho 2017, a Fundação Calouste Gulbenkian foi anfitriã do International Development Summer Course, uma iniciativa promovida por esta Fundação, em parceria com a Plataforma Portuguesa das ONGDs e o CEsA - Centro de Estudos sobre África, Ásia e América Latina do ISEG. Este curso dirigiu-se a ONGDs e CSOs (Civil Social Organizations) portuguesas com intervenção na área da Cooperação e Desenvolvimento, e juntou um conjunto de oradores/as nacionais e internacionais que abordaram o futuro da Cooperação e a Teoria da Mudança aplicada às ONGs. O evento encerrou com as presenças de Jorge Moreira da Silva, que é, desde 2016, Director-geral de Desenvolvimento e Cooperação da OCDE, de Suzanne Keatinge, CEO da Dóchas - Associação Irlandesa de Organizações Não Governamentais de Desenvolvimento, e Teresa Ribeiro, Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, que rematou anunciando novos rumos para a Cooperação portuguesa.

_Assista ao broadcast

_Ver também: Diário de Notícias (03-07-2017)

 

Luis Mah na 2017 EUSAAP Conference, com a comunicação: “EU’s EURO as an international reserve currency: What lessons for China’s Renmimbi?”

A Asia-Pacific Association for EU Studies (EUSA-Asia Pacific) organiza, de 1 a 2 de julho 2017, uma conferência na Aoyama Gakuin University, em Tóquio, Japão. A EUSA é uma associação de foro académico situada na região Ásia-Pacífico, que se dedica aos estudos da União Europeia e Integração Europeia. Visa promover e coordenar os estudos da UE nos domínios relacionados, e cultivar e desenvolver entendimentos mútuos e cooperação amigável na região e com a UE e seus Estados membros. A associação actualmente inclui dez sociedades nacionais e regionais de estudos da UE da China, Hong Kong e Macau, Japão, Coreia, Tailândia, Taiwan, Austrália e Nova Zelândia. Nesta conferência participará Luís Mah, nosso membro e professor do ISEG, que no segundo dia profere a comunicação ““EU’s EURO as an international reserve currency: What lessons for China’s Renmimbi?”. O programa provisório encontra-se disponível aqui.

_ler+

 

10-11 JUL 2017 | João Estêvão é convidado nas Conferências do Mar 2017: "Crescimento Azul - A Madeira, as Regiões Ultraperiféricas e o Atlântico" - inscrições abertas

O Governo Regional da Madeira, pela Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais, está a promover a Conferência “A MADEIRA, AS REGIÕES ULTRAPERIFÉRICAS E O ATLÂNTICO – CONHECIMENTO E COOPERAÇÃO PARA O CRESCIMENTO AZUL”, nos dias 10 e 11 de julho 2017, no Funchal, o coração da Macaronésia. É convidado, entre outros/as, João Estêvão, Professor e membro do CEsA/CSG/ISEG-ULisboa, que irá proferir no segundo dia, 11 de julho, às 16h30, a comunicação: “Economia dos Pequenos Espaços Insulares: A Macaronésia”.

_Consulte o programa completo aqui.

 

07 JUL 2017, 18h | Sessão de lançamento do livro "A Poética de Eduardo White", de Giulia Spinuzza (CEsA/ULisboa)

Próximo dia 7 de julho 2017, às 18h, tem lugar o lançamento do livro "A Poética de Eduardo White" (foto de Àlex Tarradellas Gordo da escultura de Malenga) de Giulia Spinuzza, nossa investigadora, no espaço Centro Intercultura Cidade (Travessa Convento de Jesus 12 A, Lisboa). O livro resulta da investigação em sede de mestrado desenvolvida pela autora sobre Eduardo White, o poeta moçambicano desaparecido em 2014 que é uma figura de destaque da cultura literária de Moçambique. A apresentação do livro está ao cargo de Carmen Lucia Tindó Secco, professora de Literaturas Africanas na Universidade Federal do Rio de Janeiro, e de Jessica Falconi, investigadora do CEsA/ULisboa. O evento inclui ainda um recital de poesia por Vanessa Riambau Pinheiro. A entrada é livre.

 

NOVO WORKING PAPER CEsA/CSG JUN 2017 | OBSERVATÓRIO DOS DIREITOS GUINÉ – BISSAU 2014-2016, de Carlos SANGREMAN

O WP 155, da autoria de Carlos SANGREMAN, é resultante do Relatório sobre os Direitos Humanos Económicos e Sociais na Guiné-Bissau, editado em livro pela Liga dos Direitos Humanos da Guiné-Bissau, pela Associação para a Cooperação entre Povos (ACEP) e pelo Centro de Estudos sobre África, Ásia e do Desenvolvimento (CEsA) com financiamento da União Europeia e da Cooperação Portuguesa. Compila o terceiro e último ano do projecto Observatório dos Direitos, que consistiu na análise estatística de dados recolhidos, no período de 2014 a 2016, nas regiões de Bissau (com exceção de Bolama/Bijagós), em função dos indicadores: Educação; Saúde; Habitação, água; energia e saneamento; Justiça e Meios de Subsistência.

Aceder ao WP aqui.

 

Relatório "The Profiles of the 2017 Development Co-operation" da OCDE calcula a comparticipação da ajuda à Cooperação e ao Desenvolvimento por perfil de países doadores

"Onde é que os países gastam o seu share de ajuda à cooperação e ao desenvolvimento e quanto gastam?" Este relatório da OCDE expõe a mais recente análise realizada acerca desses fluxos. The Profiles of the 2017 Development Co-operation Report pretende contribuir para a transparência da assistência oficial ao desenvolvimento, através da divulgação de estatísticas da OCDE verificadas e comparáveis para todos os membros do "DAC" e 20 outros doadores em meses de colheita dos dados. Por exemplo, em 2016, Portugal forneceu US $ 340 milhões líquidos (dados preliminares), que representaram 0,17% do rendimento nacional bruto (RNB) e um aumento de 8,9% em termos reais a partir de 2015, devido ao aumento das contribuições para o orçamento para o desenvolvimento da UE. O montante da ajuda de Portugal aumentou em 2016 pela primeira vez desde 2011. Portugal pretende vir a cumprir o seu objectivo de apoio ao desenvolvimento após a retoma da economia (OCDE, 2015).

_Aceder à publicação aqui.

 

O Conselho da Europa divulga "Intercultural cities: good practice now online"

O Intercultural cities programme do Conselho da Europa é um programa que apoia as cidades no processo de revisão das suas práticas com vista ao desenvolvimento de modelos interculturais de convivência e gestão da diversidade. Neste enquadramento, acaba de divulgar um conjunto de boas práticas das “Cidades Interculturais”, denominado “Intercultural Cities: good Practice now online”. A lista de boas práticas de “abordagens interculturais” adoptadas por membros da “Intercultural Cities Network” encontra-se disponível para consulta. Dessa lista, constam várias iniciativas desencadeadas pelo município da Amadora.

_ler +