Existem 300 Termos neste glossario. novo termo
Todos a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z
entradas
artigo
palavras chave: cooperação,desenvolvimento,juventude,cidadania

Criado em 1985, o Conselho Nacional de Juventude (CNJ) consiste na representação de organizações de juventude de âmbito nacional. Essas organizações englobam diversas áreas, sendo elas de cariz cultural, ambiental, partidárias, estudantis, sindicalistas e confessionais.

O CNJ abrange múltiplas áreas de trabalho, como o associativismo e participação juvenil (consiste na participação dos jovens na definição das políticas que lhes dizem directamente respeito), educação (é de máxima importância o reconhecimento do papel educativo das associações juvenis), emprego e assuntos sociais (estes dois temas não podem deixar de fazer parte das áreas de trabalho do CNJ porque o Emprego é uma realidade que diz respeito a todos os jovens, sejam eles estudantes, empregados ou desempregados), ambiente, saúde e qualidade de vida (relativamente ao Ambiente e Qualidade de Vida trabalham-se as questões como o trabalho de sensibilização e consciencialização das populações em geral e dos jovens em particular e a educação para um consumo responsável e sustentável), relações internacionais (o Conselho Nacional de Juventude tem de desenvolver o seu papel fora de Portugal, assim sendo as Relações Internacionais não podem deixar de constituir uma das suas áreas de trabalho, contribuindo para a sua formulação, execução, avaliação e divulgação), bolsa e formadores (a Bolsa de Formadores do Conselho Nacional de Juventude é uma ferramenta de implementação de processos educativos do CNJ).

OBJECTIVOS

O Conselho Nacional de Juventude apresenta um vasto conjunto de objectivos, como por exemplo constituir uma plataforma de diálogo e troca de opiniões entre as organizações e conselhos de juventude (promovendo o debate), contribuir para o incentivo e desenvolvimento do associativismo juvenil, reivindicar o direito à consulta sobre todos os assuntos que respeitem à juventude portuguesa em geral, colaborar com os organismos da Administração Pública através da realização de estudos e informações relacionados com interesses juvenis, apoiar técnica e cientificamente as organizações de juventude e os conselhos regionais de juventude aderentes, promover o diálogo e intercâmbio com organizações estrangeiras, publicar e apoiar a divulgação de trabalhos sobre a juventude.

Após a enumeração destes objectivos e a própria definição de Conselho Nacional da Juventude constata-se que este promove a cooperação para o desenvolvimento. Entende-se por cooperação para o desenvolvimento um conjunto de operações com o objectivo primordial de aumentar o nível de conhecimento da população, bem como as suas qualificações, competências e bem-estar.

PARCEIROS DA CNJ

O Conselho Nacional da Juventude possui diversos parceiros, sendo eles: Fórum europeu da juventude, Instituto da droga e toxicodependencia, Campanha do milenbio das nações unidas, conselho nacional de educação, Campanha todos diferentes todos iguais, Campanha pela diversidade contra a discriminação, Fundação para a divulgação das tecnologias de informação, centro Norte Sul do conselho da europa, comissão para a cidadana e igualdade de género, Alto comissário para a imigração e diálogo intercultural, Instituto portugues de apoio ao desenvolvimento.

BIBLIOGRAFIA

_ Afonso, Maria Manuela & Fernandes, Ana Paula (2005) “Introdução para a cooperação internacional”, Lisboa;

_ Sangreman, Carlos (2009) “A teoria da cooperação internacional para o desenvolvimento e o estado da arte da cooperação portuguesa”, colecção de documentos de trabalho, nº80, Lisboa

SITE

www.cnj.pt

AUTORIA

Catarina da Cruz Silva

Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Desenvolvimento e Cooperação Internacional, da licenciatura em Administração Pública, da Universidade de Aveiro

regulamento