SPRING MODULE 2016

TRANSFORMAÇÕES AGRÁRIAS EM ÁFRICA | João Mosca

14 A 16 DE ABRIL
HORÁRIO: Dias 14 e 15 das 18h-20h, dia 16 das 10h-12h

noticia

 

 

Este conjunto de seminários tem como objectivo apresentar as recentes reconfigurações da divisão internacional da produção alimentar e de comodities, as formas de penetração do capital nos países em desenvolvimento e os processos de resistência/integração dos sistemas de produção locais, em particular dos camponeses, bem como os conflitos políticos e sociais associados. São referidas as mudanças estruturais da economia e da agricultura, assim como o aprofundamento da natureza subdesenvolvida das economias receptoras, os padrões de acumulação e as alianças políticas e económicas subjacentes.

É dado uma particular atenção às economias ricas em recursos naturais, onde a maioria da população vive no meio rural e da agricultura de pequena escala em países com estados frágeis/fragilizados. Serão apresentados os fenómenos de land grabing, reassentamentos, conflitos políticos e sociais, pobreza, desigualdades sociais e segurança/soberania alimentar. O tema é apresentado em três sessões, cujos temas/tópicos se encontram abaixo.

Local: Ed. Quelhas / ISEG-ULisboa

Seminário 1
Tema: Novas dinâmicas do sistema agroalimentar mundial e a velha divisão internacional do trabalho.

Tópicos principais:

  • A consolidação da estrutura do sistema alimentar mundial e os factores de mudança. Iniciativas para África;
  • A penetração do capital financeiro, mineiro e agrário no meio rural dos países em desenvolvimento;
  • A reserva de territórios (terra, água e recursos naturais) a longo prazo, a nova fronteira agrícola e a soberania das nações;
  • As relações Sul-Sul. O que há de novo?;
  • Os padrões de acumulação, as elites locais e o aprofundamento da estrutura económica capitalista. O “desenvolvimento do subdesenvolvimento”.

Seminário 2
Tema: Crescimento/desenvolvimento económico, transformação estrutural da economia e da agricultura.

Tópicos principais:

  • Os processos de crescimento/desenvolvimento, a cumulação e o papel da agricultura. A evolução capitalista, as características da transição socialista e a transformação em contexto de riqueza de recursos naturais;
  • Transformação em contexto de riqueza de recursos naturais:
  • o Os padrões de acumulação;

    o Crescimento, desenvolvimento pobreza, desigualdades e exclusão/inclusão social;

    o O Estado, as elites e as alianças políticas e económicas a nível local.

Seminário 3
Tema: Penetração do capital e camponeses.

Tópicos principais:

  • A importância da economia camponesa na produção alimentar;
  • O campesinato como classe no contexto actual em África;
  • Lógicas e racionalidades da agricultura de pequena escala;
  • A financeirização das economias e os modelos de penetração do agronegócio. Exclusão/conflito, resistência/integração:
  • o Land grabing e reassentamentos;

    o Formas de resistência;

    o Efeitos ambientais e sociais.

  • A exploração predadora dos recursos naturais (mineração artesanal florestas e fauna), os tráfegos e a reprodução social;
  • Mudanças de sistemas de produção, segurança alimentar e soberania dos produtores. As respostas agroecológicas;
  • Dinâmicas sociais e mobilidade induzida. Os agricultores emergentes/pequena burguesia rural/kulaks;
  • As comunidades e as elites locais.

BIBLIOGRAFIA

AMIN, Samir (2003). “World Poverty, Pauperization and Capital Accumulation” Monthly Review, Volume 55, Issue 05. Tradução: Pobreza mundial, pauperização & acumulação de capital. http://www.monthlyreview.org, acessado em 20/09/2015.

CAVAILHES, J. (1979). “El análisis leninista de la descomposición del campesinado”. La evolución del campesinado. La agricultura en el desarrollo capitalista. Instituto de Estudios Agrarios, Pesqueros y Alimentación, pp. 327-360. Madrid.

CHAYANOV, A.V. (1974). La organización de la unidad económica campesina, Buenos Aires, (primeira edição, 1925).

FERNANDES, Bernardo Mançano (s/data). A geopolítica da questão agrária mundial. http://www.acciontierra.org.

FRIEDMAN, Harriet (1980). “Household production and the national economy. Concepts for the analysis of agrarian formations”. The Journal of Peasant Studies, vol. 7, nº 2, pp. 158-184.

KAUTSKY, Karl (1970). La cuestión agraria. Paris, Puerto-Ibérico.

MALASSIS, L.; PADILLA, M. (1986). Economie Agro-Alimentaire, III: l’Economie Mondiale, Cujas. Paris.

MAMDANI Mahmood (S/ data). The state, private sector and market failures. A response to Prof. Joseph Stiglitz.

MOSCA João e BRUNA Natacha (2015). ProSAVANA: discursos, práticas e realidades. Observador Rural Nº 24. Documento de Trabalho do Observatório Rural Rural (OMR), Setembro de 2014. Maputo.

MOSCA, João (2015). Sector familiar em Moçambique: ideologias e políticas. Observador Rural Nº 24. Documento de Trabalho do Observatório Rural Rural (OMR), Setembro de 2014. Maputo.

MOSCA, João (2012. Por que é que a produção alimentar não é prioritária? Observador Rural Nº 1. Documento de Trabalho do Observatório do Meio Rural (OMR), Setembro de 2012 Maputo.

MOSCA João, BRUNA Natacha e MANDAMULE Uacitissa (No pelo). A economia política da agricultura. Ênfase para o agronegócio. Observatório do Meio Rural. Maputo.

MAMDANI, Mahmood (2012). The state, private sector and market failures. A response to Prof. Joseph Stiglitz. http://www.pambazuka.org.

SERVOLIN, Claude (1989a): “La absorción de la agricultura en el modo de producción capitalista”. La evolución del campesinado. La agricultura en el desarrollo capitalista. Madrid. Instituto de Estudios Agrarios, Pesqueros y Alimentación, pp. 151-195.

SHANIN, T (1971): Naturaleza y lógica de la economia campesina, Editorial Anangrama, Barcelona (consultado em Agosto de 2011). Disponível em http://ieham.org/html/docs.

SHANIN, Theodor (1983). La clase incomoda. Sociología política del campesinado en una sociedade en desarrollo (Rusia 1910-1925). Alianza Editorial. Madrid.

Consulte os materiais desta Spring Module:

 

_ Entrevista RDP-África

 

_ Descarregar apresentação [parte 1]

 

_ Descarregar apresentação [parte 2]