Ásia Oriental
Boletim trimestral de informação económica sobre a Ásia Oriental
vol. 2; nº 3; 3º Trimestre/1998 (Jul.)

(continuação)

Índia - FICHA INFORMATIVA DA ECONOMIA


Situação política
A actual situação política da Índia não é de fácil leitura já que há alguns sinais desencontrados consoante nos referimos à situação vista de dentro ou de fora do país.
De fora, o que há a salientar é a condenação, feita por muitos países, das experiências nuclea-res que o governo determinou e que suscitaram uma resposta, na mesma moeda, do Paquistão.
Mas se externamente não faltaram as críticas, internamente a atitude do governo foi bastante apoiada tendo constituído um pólo de união entre a maioria dos indianos --- não foi (também) para isso que eles foram levados a cabo?!....
Já quanto à eficácia da política interna (nomeadamente a económica), porém, parece que ela começa a dar alguns sinais de que não será a melhor, facto a que não será estranho o de se tratar de uma coligação com um numeroso grupo de partidos com objectivos próprios e nem sempre facilmente conciliáveis.
A situação é de tal ordem que alguns analistas já começam a debater qual será o próximo Primeiro-Ministro. E quando se fala do assunto é natural que Sónia Gandhi seja, mais uma vez, um dos nomes mais falados.

Situação económica
As expectativas quanto ao comportamento da economia indiana são difíceis de estabelecer já que não é fácil determinar o efeito líquido das sanções económicas adoptadas pelos Estados Unidos e outros países na sequência dos ensaios nucleares indianos.
Os cálculos dos observadores apontam, porém, para um ligeiro abaixamento do crescimento em resultado dessas sanções e da redução das exportações (-4,1%, em média, no primeiro trimestre deste ano).
Quanto à linha genérica da política económica do actual governo, parece evidente que ela é bastante mais cautelosa no processo de abertura da economia ao exterior embora aparentemente mais ampla do que inicialmente se previa face às características da coligação no poder.
Correndo o risco de exagerarmos --- exageramos mesmo!... ---, poderíamos dizer que se pretende obter o melhor de dois mundos: um mercado interno gozando de alguma protecção face ao exterior e um acesso cada vez maior ao mercado internacional.
A conciliação entre estas duas linhas de força não é fácil e daí, em parte, alguma inconsistência na formulação da política económica que alguns observadores salientaram. E o pior é que a comunidade empresarial começa a dar sinais de alguma desilusão, com a consequente falta de confiança que se reflecte nas perspectivas (e nas actuações) de longo prazo.

Produção
Retrato das dificuldades que atravessa presentemente a economia indiana é o grande abrandamento da taxa de crescimento do produto industrial: 2,4% (taxa anual) entre Outubro de 1997 e Abril p.p., quando há cerca de três anos as taxas eram de dois dígitos (mais de 12% em 1995, que permitiram que a taxa de variação do PIB no período 1995 a 1997 fosse de cerca de 7,3%).

Comércio internacional
A queda registada nas exportações durante o primeiro trimestre deste ano (taxa anual de -4,1%), associada a uma diminuição menos que proporcional das importações, fizeram com que o saldo comercial externo fosse de -2,2 biliões de USD, o que faz antever um agravamento do saldo anual da balança de transacções correntes relativamente ao ano transacto (de -5 biliões USD passar-se-á aos perto de -7 biliões em 1998 e aos -7,5 biliões em 1999).

Inflação
As dificuldades que o país atravessa e a desvalorização da moeda (rupia) a que foi necessário recorrer contribuiram para a aceleração da inflação, que irá passar dos 7,2% de 1997. Daí que já haja quem fale em estagflação. Exagerados!...

Moeda
A taxa de variação da oferta de moeda (M2) tem vindo a aumentar ligeiramente. Esta evolução retrata uma política monetária acomodatícia face ao aumento da inflação e à necessidade fornecer à economia os meios financeiros necessários à (tentativa de) aceleração do crescimento económico.

Taxa de juro
As taxas de juro dos empréstimos situam-se nos 13,5%.

Taxa de câmbio
Após ter alcançado o valor record de 43 rupias por USD, a actual taxa desta moeda ronda os 42,50 rupias. Espera-se, no entanto, que ela chegue, no final do ano, aos INR 44-45/USD.

Reservas cambiais
As reservas cambiais eram, em Abril passado, de 25,4 biliões USD.

Início do Boletim | Comentário | Breves | Mercado | Topo desta página
China | Macau | Hong Kong | Taiwan | Coreia | Malásia | Singapura | Tailândia


Quaisquer comentários a esta webpage devem ser dirigidos a:
António M. de Almeida Serra ( aserra@iseg.utl.pt)

Copyright © CEsA , 1998
Última versão: 15 de Julho de 1998