Ásia Oriental
Boletim trimestral de informação económica sobre a Ásia Oriental
vol. 2; nº 4; 4º Trimestre/1998 (Out.); ÚLTIMA EDIÇÃO

Edição do CEsA - Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento

(continuação)

Malásia - FICHA INFORMATIVA DA ECONOMIA

Situação política

No boletim anterior escrevemos, a certo passo da nossa análise sobre este país, que

"há cada vez mais pessoas a olhar para Anwar Ibrahim, o Vice-Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, como o sucessor desejado" do Primeiro-Ministro. Não cremos que este nos tenha lido (...) mas a verdade é que se encarregou de afastar o "perigo": no início de Setembro demitiu o até então seu protegido e não contente com isso encarregou-se de o acusar de tudo e mais alguma coisa, incluindo (que falta de imaginação!...) de "comportamento sexual pouco recomendável" e de atentado à segurança nacional. Isto é: para ele, não bastava demitir. Para que não restasse nada do seu Vice, era necessário "queimá-lo" vivo e enterrá-lo nas profundezas do inferno!

A reacção de muitos malaios não se fez esperar: saíram à rua e começaram a gritar o grito que derrubou Suharto ("Reformasi!").

Preso o seu líder, os seus partidários parecem não conseguir dar ao seu movimento a força necessária para terminar com as "originalidades" da democracia na versão de Mahatir Mohamad .

Os próximos meses dirão qual o futuro deste movimento mas há em (quase) todos os analistas a certeza de que, a prazo, o tiro vai sair pela culatra da espingarda do actual Primeiro-Ministro. E isto independentemente de se concordar ou não com as opções económicas de um ou de outro dos intervenientes.



Situação económica

No trimestre anterior salientámos que as previsões apontavam para uma queda do PIB de 5% em 1998 relativamente a 1997. Ora, só no segundo trimestre a queda foi, relativamente a igual período de 1997, de 6,8%.

Isto dá bem uma ideia da gravidade da situação económica do país e ajuda a compreender porque é que se veio a desencadear uma forte divergência entre os mais altos dirigentes do país --- o Primeiro-Ministro e o seu Vice (vd. a análise da situação política) --- sobre o caminho a seguir.

Desde sempre desconfiado em relação ao Ocidente e às suas regras liberais de funcionamento económico, o Primeiro-Ministro parece ter exacerbado esses sentimentos com a crise cambial e financeira desencadeada em 1997.

O resultado foi, contra a opinião do Vice-Primeiro Ministro e Ministro das Finanças, fugir ao receituário usual do Fundo e partir para o relativo isolamento do país face aos movimentos internacionais de capitais de curto prazo. A forma escolhida foi a de retirar a convertibilidade ao ringgit.

Fazendo-o, pôde fixar adminis-trativamente uma taxa de câmbio (MYR 3,80/USD contra a taxa de mercado na ocasião que era de MYR 4,20/USD) e uma taxa de juro mais baixa sem a preocupação da saída (legal...) de divisas.



Produção

O sector industrial do país é dos que mais tem diminuído a sua produção: entre Julho/97 e Julho/98 ela caíu 8%.

As expectativas para a taxa de crescimento são de que passe dos -5% deste ano para os +0,5% em 1999.



Comércio internacional

Uma quebra das importações maior que a das exportações estará na base de uma melhoria da balança comercial em 1998 (+7,9 biliões USD contra +3,8 no ano anterior). Isto permitirá que a balança de transacções correntes tenha um saldo positivo pela primeira vez nesta década (+4,9 biliões USD). Porém, a situação inverter-se-á em 1999, ano em que este último saldo deverá ser de -4,4 biliões USD.



Inflação

Apesar --- ou por causa --- da crise que o país atravessa, os preços têm mantido uma taxa de crescimento relativamente estável ao nível dos 5,6%. As previsões de que ela subiria até aos 8 ou, mesmo, 10% não se devem confirmar.



Moeda

A M2 cresceu em Julho (face a Julho/97) à taxa anual de 9,1%. Recorde-se que nesta ocasião ainda não se tinham adoptado as novas orientações de política económica (Setembro).



Taxa de juro

A taxa de juro de curto prazo situa-se agora nos cerca de 7,5%. A prime rate é de 8,9%. Estas baixas enquadram-se na nova política de estímulo da economia e de condiciona-mento dos movimentos de curto prazo dos capitais.



Taxa de câmbio

Depois de introduzidas novas regras acabando com a livre convertibilidade do ringgit, a taxa de câmbio é agora de MYR 3,8/USD (era de 4,2 até ao início de Setembro).

Esta taxa corresponde à de cerca de PTE 43$70/MYR (45$00 no trimestre anterior).



Reservas cambiais

As reservas cambiais do país são hoje de cerca de 19,7 biliões USD.

Início do Boletim | Comentário | Breves | Mercado | Lições da crise | Topo desta página
China | Macau | Hong Kong | Taiwan | Coreia | Singapura | Tailândia | Índia


Quaisquer comentários a esta webpage devem ser dirigidos a:
António M. de Almeida Serra ( aserra@iseg.utl.pt)

Copyright © CEsA, 1997, 1998
Última versão: 15 de Outubro de 1998