Ásia Oriental
Boletim trimestral de informação económica sobre a Ásia Oriental
vol. 2; nº 1; 1º Trimestre/1998

(continuação)

Singapura - FICHA INFORMATIVA DA ECONOMIA

Situação política

Singapura é um país em que as novidades no campo da política nunca são muitas. Por vezes o que se passa é somente mais do mesmo, como o demonstram os últimos tempos, com a repetição dos processos judiciais contra os principais líderes da oposição.

Algo que se vem tornando habitual é também a subida a postos cada vez mais importantes dos familiares do Senior Minister e (há que concordar, verdadeiro pai da actual situação económica e política do país), Lee Kwan Yew. Desta vez foi o filho que ascendeu a principal responsável pela Autoridade Monetária de Singapura, o banco central do país.

Situação económica

Singapura é, manifestamente, o país do Sudeste Asiático que melhor tem suportado a actual crise económica da região. A isto não é estranho, naturalmente, o facto de não só ser o que melhores "economic fundamentals" tinha quanto à sua estrutura económica e financeira mas também o facto de ser um dos que tem, desde há muito, melhor gestão macroeconómica.

É por isso que as quebras da taxa de câmbio do SG$ e do índice da bolsa local foram das menores da região: cerca de 13% para a primeira e de 17% para a segunda.

A última estimativa (Dez/97) da OCDE para o crescimento do PIB foi de 6,5% para 1997 e 6% para 1998 (as estimativas de Junho eram de 6,5 e 6,8%, respectivamente). As estimativas do Governo são, porém, de um crescimento de 7.6% em 1997 e de 5% em 1998.

Produção

Apesar das previsões acima, há observadores que calculam o crescimento do produto de Singapura em 1998 em apenas... 0.1%! A maioria, porém, acredita que o valor efectivo vai ser muito superior a este: 4.4%. Note-se que esta estimativa é inferior às previsões da OCDE.

Para isso contribuirá a retoma da produção (e da exportação) do sector electrónico e o crescimento (+16,7%)do cluster da indústria aeroespacial. Esta última está em franco desenvolvimento graças aos apoios recebidos do Estado.

O sector dos serviços (nomeadamente os de natureza financeira) deverá ser o de menor crescimento mas as perspectivas para o sector electrónico --- o principal sector exportador do país --- também não são das melhores.

Comércio internacional

As exportações não-petrolíferas do país terão aumentado (valor nominal) em Novembro p.p. cerca de 12,4%, o que constitui uma nítida recuperação se compararmos este valor com o do mesmo mês de 1996, quando a taxa de variação foi de -8,8%.

Inflação

A taxa de inflação continua a subir. No entanto, em Outubro p.p. não deverá ter ultrassado a taxa anual de 2.7%. A taxa para o conjnuto do ano de 1997 não estará muito longe dos 2.3-2.5%, quando em 1996 tinha sido de 1.4%.

A reanimação da economia e a desvalorização da moeda são as principais causas deste aumento.

Moeda e taxas de juro

A Autoridades Monetária de Singapura é, reconhecidamente, um dos mais eficientes bancos centrais da região e tal facto não é estranho à capacidade que o país tem demonstrado para suportar a crise financeira que atravessa a Ásia Oriental.

As virtualidades da acção não se esgotam na forma cautelosa como controla a massa monetária mas também, senão principalmente, na sua capacidade para estruturar um sistema financeiro que é dos mais saudáveis da região.

A taxa prime rate aumentou recentemente para 7%. Este valor poderá ser aumentado até aos 8% se as taxas de juro do mercado interbancário não baixarem.

Taxa de câmbio e reservas cambiais

O dólar de Singapura tem sido das moedas que menos perdeu no quadro da actual agitação financeira e cambial da região. Além disso, a sua descida tem sido resultado de um misto de efeitos do mercado e de uma política cambial que procura não comprometer demasiado a competitividade das exportações do país relativamente às de outros da região. Por tudo isto a quebra da taxa de câmbio desde o início da crise cambial actual foi inferior a 15% quando outros, como a vizinha Malásia, perderam cerca de 40%.

As taxas mais recentes têm rondado os SGD 1.67/USD (PTE 108$74/SGD; 117$74 no início do 41 trimestre de 1997), esperando alguns oservadores que a desvalorização prossiga (previsão para a taxa de câmbio no final do ano: cerca de SGD 1.80/USD).

Há um ano a taxa era de SGD 1.4/USD.

As reservas cambiais eram de quase 77 biliões de USD em Agosto passado.

Início do Boletim | Comentário | Breves | Perspectivas | Condições de Produção | Conferências
Comércio Externo | Apoios à produção | Mercado | topo desta página
China | Macau | Hong Kong | Taiwan | Coreia | Malásia | Tailândia | Índia


Quaisquer comentários a esta webpage devem ser dirigidos a:
António M. de Almeida Serra ( aserra@iseg.utl.pt)

Copyright © CEsA , 1998
Última versão: 15 de Janeiro de 1998